terça-feira, 10 de setembro de 2013

Governo vai pagar R$ 150 para incentivar carreira em ciências exatas e biologia

Yara Aquino
Repórter da Agência Brasil
Brasília – O Ministério da Educação deve lançar nesta semana um programa para incentivar estudantes do ensino médio de escolas públicas a seguirem carreira na áreas de química, física, matemática e biologia. O Programa Quero Ser Cientista, Quero Ser Professor vai conceder bolsas de R$ 150 aos alunos para incentivar a dedicação ao estudo das disciplinas. A expectativa é oferecer inicialmente 30 mil bolsas e ampliar gradualmente até 100 mil.
Os estudantes terão supervisão de um professor orientador que contará com o apoio de universidades. O professor também receberá bolsa, mas o valor não foi divulgado.
“Química, física, matemática e biologia são áreas em que a demanda por matrícula no ensino superior é muito baixa. Está em torno de 2,8% a 3% das matrículas e não sai desse patamar. Nós queremos melhorar isso”, explicou o ministro da Educação, Aloizio Mercadante, após participar de evento da organização não-governamental Todos pela Educação.
Um dos objetivos do programa é que o incentivo possa reduzir o déficit de professores nas áreas de química, física e matemática e biologia. Estima-se que atualmente chegue a 170 mil o déficit de docentes na rede pública nessas áreas.
A intenção é ainda ter profissionais das áreas de exatas em outros setores produtivos, segundo Mercadante. “A medida que você dá condições, ele [o estudante] vai de alguma forma para a área de exatas. Ou vai ser um professor, ou vai ser matemático, físico, químico, que o Brasil precisa de gente em todas essas áreas", disse.
De acordo com o ministro, os estudantes receberão uma bolsa de estímulo, a exemplo daquelas de iniciação científica. Enquanto participa do programa, terão uma jornada maior de trabalho em função das tarefas a fazer e o acompanhamento do professor orientador.
A portaria que cria o programa deve ser lançada esta semana e os estados deverão aderir à iniciativa. A previsão, segundo Mercadante, é fazer a seleção dos alunos e iniciar o trabalho ainda este ano.
Ao participar de audiência pública na Comissão de Educação da Câmara dos Deputados, em abril, o ministro Aloizio Mercadante já havia informado que o programa estava em elaboração.

Edição: Carolina Pimentel
Fonte: EBC

Nenhum comentário: