sábado, 10 de agosto de 2013

O futuro político do Ceará na ótica de Cid Gomes


O raciocínio do governador Cid Gomes é lógico. Quer concluir a maior parte das mais de 550 obras espalhadas por todo o Ceará, até junho do ano que vem, e se cacifar, assim, para apresentar um candidato que leve o selo de continuador de sua administração. Hoje, apesar de toda a crise que se abateu sobre o País e arrasou a popularidade dos governantes, Cid ainda é o terceiro governador mais popular com 40%. Com as obras inauguradas, acredita que eleva sua aprovação para mais de 60% e elege com maior facilidade o seu sucessor.

Terminar obras
Definida a estratégia eleitoral, Cid não mudará um milímetro de seu rumo político. Nem adiantam as pressões internas do PSB ou externas do PMDB para que ele antecipe as discussões sobre seu candidato. O nome que ele irá ungir só será anunciado em abril ou maio de 2014.

Passos rápidos
Dentro do objetivo de acelerar suas obras, Cid esteve na noite de terça-feira (7), no Rio de Janeiro, e, na quarta-feira (8), pela manhã, em Brasília. Já à tarde, regressou para Fortaleza. Compromissos sendo cumpridos rapidamente, pois o governador não tem tempo a perder. Seu mandato está acabando.

Fidelidade canina
A admiração da presidente Dilma por Cid cresce a cada dia. Enquanto aumenta a decepção presidencial com governadores até de seu partido, caso de Tarso Genro, que prioriza sua reeleição em detrimento da de Dilma, Cid, para o Planalto, só a ajuda a conseguir um novo mandato.

Fazer desistir
Sem pressa, Dilma conversará com o vice presidente Michel Temer para convencer o senador Eunício Oliveira a desistir de sua candidatura ao governo. Sua desistência arruma sua base aliada no Estado, mantendo a aliança entre PSB, PT e PMDB, mesmo com Eduardo Campos candidato.

Fonte: Ceará News7

Nenhum comentário: