terça-feira, 9 de julho de 2013

ESTUDANTE DE MEDICINA TERÁ DE ATUAR NO SUS; MÉDICOS REAGEM


Após citar pesquisas que indicam o setor da Saúde como um dos mais problemáticos do País, a presidente Dilma Rousseff apresentou ontem o programa Mais Médicos, que deve ampliar a duração do curso de Medicina de 6 para 8 anos e criar 2 anos de trabalho compulsório no Sistema Único de Saúde (SUS) antes que o estudante obtenha o diploma. A ideia é aumentar a oferta de médicos e melhorar a formação dos profissionais. Definida por medida provisória, a ampliação deverá ser regulamentada em 180 dias e entrar em vigor em 2015. Na Saúde, os gastos devem chegar a R$ 45,7 bilhões até 2020. O programa inclui ainda o recrutamento de médicos estrangeiros para trabalhar em áreas prioritárias, a abertura de 11.447 novas vagas para graduação e outros 12.376 postos de especialização em áreas consideradas prioritárias até 2017. A exigência valerá tanto para instituições da rede pública quanto privada de ensino superior. Entidades profissionais, como o Conselho Federal de Medicina (CFM), estudam as possíveis ilegalidades das medidas.
Fonte: Sobral de Prima

Nenhum comentário: