quinta-feira, 11 de julho de 2013

DIPLOMAS DE DENTISTAS E PSICÓLOGOS EXIGIRÃO PASSAGEM PELO SUS


A criação de um ciclo obrigatório de trabalho no Sistema Único de Saúde (SUS) não deve ficar restrito ao curso de medicina, como definido no programa Mais Médicos, anunciado na segunda-feira (8), pelo Governo Federal. O Conselho Nacional de Educação (CNE) estuda a adoção da medida para outras carreiras da área de saúde. O plano prevê que estudantes de odontologia, psicologia, nutrição, enfermagem e fisioterapia também concluam a formação com atividades na rede pública. Isso já vem sendo pensado, informou terça-feira (9) o secretário de Educação Superior do Ministério da Educação (MEC), Paulo Speller. Não há prazo para a conclusão da análise, que começou antes mesmo dos estudos sobre o caso da medicina. A decisão vale para estudantes que ingressarem na faculdade a partir de 2015. O ciclo complementar será feito em locais indicados pelas instituições de ensino, que formarão rede com serviços públicos de assistência. Durante os dois anos do ciclo suplementar, o aluno não pagará mensalidade. Pelos serviços prestados, receberá uma bolsa com valor ainda não definido. O ministro Alexandre Padilha (Saúde) afirmou que a remuneração deverá variar entre R$ 2,9 mil e R$ 8 mil, verba assegurada pelo Governo Federal.

Nenhum comentário: