quinta-feira, 27 de junho de 2013

Servidores públicos lideram protestos no interior do Ceará

Quixadá/ Sobral/ Crato. O fim de semana começa agitado no Sertão Central. As manifestações populares desencadeadas a partir do "Acorda Brasil" tiveram início ontem pela manhã, em Quixadá, com um ato público promovido pelo Sindicato dos Servidores Públicos. À tarde, aconteceu em Quixeramobim. Hoje pela manhã, lideranças políticas e empresariais de Quixadá pretendem se reunir com a sociedade para lançarem um pacto em defesa de investimentos para o município. À tarde, será a vez do movimento popular "Quixadá Acordou"ganhar as ruas da cidade.
Com faixas e cartazes, os funcionários públicos de Quixadá, Ibaretama, Ibicuitinga e Choró se concentraram em frente à Câmara Municipal e pediram melhorias para as cidades. Novos protestos estão programados para hoje fotos: alex pimentel

Como vem ocorrendo nas manifestações por todo o País, o movimento "Acorda Quixeramobim" ganhou força através das redes sociais, principalmente o Facebook. A mesma estratégia foi utilizada para fortalecer a mobilização em Quixadá. Pelos cálculos da organização do movimento, pelo menos duas mil pessoal devem se concentrar na tarde de hoje na Praça da Cultura, no Centro.

Conforme o estudante Leanderson Araújo, um dos coordenadores do "Quixadá Acordou", a manifestação será apartidária. "O objetivo é demonstrar a indignação da população diante dos péssimos serviços públicos prestados, em todas as áreas".

Além do estudante, outros jovens se solidarizaram e participaram do ato público promovido pelo Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Quixadá, Choró, Ibaretama e Ibicuitinga (Sindsep), na frente da Câmara de Vereadores de Quixadá, ontem pela manhã. A presidenta Neiva Esteves da Silveira agradeceu o apoio à luta contra o que denunciou como "perseguição aos servidores" no município.

Assim ela classificou o remanejamento de alguns deles, e cortes de benefícios, como as horas-extra. Além de outras reivindicações, exigem posicionamento da Câmara contra os abusos. Para a líder classista, o momento é um reflexo da indignação maciça dos brasileiros por todo o País.

O presidente da Câmara de Vereadores de Quixadá, Pedro Baquit, disse não ter conhecimento das perseguições apontadas pela representante do Sindsep. Ele considera desgastante para qualquer administração atos dessa natureza. Todavia, reconheceu como necessária a redução das horas-extra dos vigias da Prefeitura de Quixadá.

Para ele, agora será possível contratar mais servidores. Ainda destacou o momento pelo qual o País passa, avaliando como um exemplo de democracia. Considerou 90% das manifestações apartidárias e o restante dos participantes, "oportunistas".

Reivindicações

Na próxima semana, dia 29, vai ser a vez de Senador Pompeu realizar sua manifestação. Os articuladores são do Movimento "Vem Pra Rua Senador". Na mensagem publicada numa fanpage com essa denominação, os mobilizadores convocam a população para ir às ruas, gritar por mais segurança e saúde, principalmente. Também querem mais educação, mais emprego e mais cultura.

"Chega de ver os filhos de Senador saindo para morar em outras cidades por falta de emprego ou pela impossibilidade de continuar os estudos. Chega de sair às pressas para cidades vizinhas por falta de médicos no hospital. O povo quer mais!... Vamos juntos lutar pelo bem-estar comum!", diz a mensagem.

Coincidentemente, nenhuma das três cidades do Sertão Central possui linhas de transporte coletivo urbano. Será um das reivindicações em Quixadá. Para o estudante Leanderson Araújo, os atos na região demonstram a indignação da sociedade, em todas as suas camadas, principalmente entre os mais jovens, sobre as políticas governamentais e investimentos públicos no Brasil, principalmente nos municípios menores. "A redução do preço das passagens de ônibus em São Paulo foi apenas o estopim para desencadear os protestos por todo o País", acrescentou.

Zona Norte

Os protestos na Zona Norte iniciaram anteontem, com a Manifestação contra a Violência em Sobral. O protesto iniciou às 17h no Arco de Nossa Senhora de Fátima e seguiu para a Câmara Municipal após as 18h.

De lá, os manifestantes foram para a Prefeitura Municipal onde cantaram o Hino Nacional em frente aos policiais civis e militares que faziam a segurança do local. Além de segurança pública, os cartazes pediam mais investimentos em educação e saúde; a saída de Marcos Feliciano e palavras de motivação para chamar os que assistiam.

A segunda manifestação será dia 26. Conforme a organizadora dos dois eventos, desta vez, tentará conversar com o prefeito Veveu Arruda. No mesmo dia estará ocorrendo a Caravana da Serra da Ibiapaba "Muda Ibiapaba", que está sendo organizada pelo Ministério Público de São Benedito e deve tratar sobre a PEC 37, que limita ação do MP.

No mundo, apenas três países tem uma atitude semelhante, de acordo com o convite oficial do evento, assinado pelo promotor de Justiça, Marcelo Sampaio. A caravana deverá sair de Guaraciaba do Norte às 7h e seguir até Tianguá, onde se realizará a concentração ao lado da Catedral, por volta das 9h.

Já no Crato, a mobilização marcada para ocorrer na manhã de ontem, reuniu poucas pessoas, que permaneceram por parte da manhã em frente à Prefeitura. A ideia era realizar protestos pela cidade, no dia em que o município completa 249 anos de emancipação. A programação com hasteamento das bandeiras, em frente ao prédio da administração, ato cívico-militar pela cidade, além de pronunciamento oficial do prefeito Ronaldo Sampaio Gomes de Mattos, não aconteceu.

Em mensagens divulgadas nas rádios, o gestor local parabeniza o Crato pelo aniversário e se solidariza aos manifestantes, em relação às melhorias que devem ocorrer em setores básicos como educação e saúde.

Fonte: DN

Nenhum comentário: