terça-feira, 25 de junho de 2013

Calor segue preocupando italianos: “Tem que ser repensado para o ano que vem”

O volante italiano Claudio Marchisio disse que a Copa das Confederações também é um período de testes para a organização do evento, admitindo que preferiria atuar em horários que a temperatura estivesse mais amena durante a Copa do Mundo 2014. “Isso tem que ser repensado para o ano que vem”, disse ele, quase como uma súplica.
20130625_160652O calor tem sido um problema para não somente os jogadores italianos, mas para todos os atletas da competição. Alguns espanhóis passaram mal durante o jogo entre Espanha e Nigéria, no último domingo, na capital cearense. Italianos sofreram com o forte calor nordestino, mas quando atuaram às 19h, diante do Japão, em Recife.
Nesta Copa das Confederações, todas as partidas foram realizadas às 16h ou às 19h, até agora. A decisão do terceiro e quarto lugares acontecerá às 13h, em Salvador. Na Copa do Mundo, no ano que vem, há diversas partidas marcadas para às 13h, inclusive em Fortaleza.
País continental
“É como jogar uma Copa das Confederações na Europa inteira”. Assim o volante italiano Claudio Marchisio definiu jogar uma competição em um país continental como o Brasil. “O clima em Fortaleza e no Rio (de Janeiro) são completamente diferentes. O calor é parecido, mas aqui é bem mais úmido”, reclamou o atleta de 27 anos, ainda durante entrevista coletiva no Estádio Presidente Vargas, nesta terça-feira (25).
Lembrança eterna
Marchisio disse que nunca esquecerá de ter enfrentado a seleção brasileira, no Brasil. “Seria maravilhoso enfrentarmos o Brasil novamente na final, mas não podemos pensar na final antes de passarmos pela semifinal”, disse o jogador da Juventus de Turim.
Força italiana
O atleta ressaltou que a Itália está mais forte e experiente do que há um ano, quando fora derrotada pela própria Espanha na final da Eurocopa. Para ele, a equipe aprendeu com os erros daquela partida e tentará não repeti-los.
Ele destacou a qualidade de Gilardino, provável substituto de Mario Baletelli, cortado por lesão.“É um cara que sabe fazer gols, um campeão do mundo (em 2006)”, disse ele, ressaltando ainda a importância da volta de De Rossi, que cumpriu suspensão diante do Brasil.
Os melhores do outro lado
O volante não escondeu a admiração pelos principais jogadores do adversário, Xavi e Iniesta, a quem terá a função de parar na partida. “Os melhores da Europa na posição”, disse ele, apenas sorrindo quando questionado como faria para pará-los.

Fonte: DN

Nenhum comentário: