quinta-feira, 30 de junho de 2011

Supervalorização de imóveis chega a 1.900% em Juazeiro



Um mercado de imóveis superaquecido. Assim é o setor imobiliário em Juazeiro do Norte. Têm áreas na cidade, como o Bairro Lagoa Seca, onde o metro quadrado experimenta uma valorização de 1.900%, ou 20 vezes o valor inicial. Há três anos, o metro quadrado no bairro chegava a custar R$ 15,00. Hoje, atinge os R$ 300,00, segundo atestam corretores de imóveis. Mesmo sem dados oficiais para o setor no Município, o momento é de alta nos preços para compra e para aluguel, bem como nos investimentos das construtoras.

Há áreas no Centro que chegam ao valor de R$ 5 mil o metro quadrado, chegando ao patamar da Capital. Para corretores que atuam há décadas na cidade, esse é um dos melhores momentos para o setor. Porém, as altas de preços são também influenciadas pela especulação para as vendas de novos espaços e locações de imóveis.

Áreas que margeiam as avenidas Leão Sampaio e a Padre Cícero, nos bairros Lagoa Seca e São José, em direção às cidades de Barbalha e Crato, respectivamente, são as mais visadas pelos novos investidores que chegam a região para montar seu negócio. São espaços que formam o triângulo Crajubar e interligam essas duas cidades a Juazeiro do Norte. Grandes empreendimentos comerciais, como o Atacadão, Hiperbompreço e Cariri Shopping valorizaram mais as áreas, além da recente inauguração do Hospital Regional do Cariri (HRC). Os grandes empreendimentos acabam puxando outros.

O para o corretor José Gurgel Carlos da Silva, há mais de 30 anos no mercado imobiliário de Juazeiro do Norte, nunca se viu essa realidade antes. É algo que e aproxima dos investimentos em áreas da Capital. Ele afirma que, atualmente, algumas pessoas exageram na negociação. Em alguns momentos, torna-se difícil até para o corretor, por conta da especulação que possibilita margem de lucro exorbitante. Como exemplo, ele cita a venda de uma casa há três meses na Av. Padre Cícero, no valor de R$ 360 mil. "Hoje, o proprietário da casa não vende no valor menor do que R$ 800 mil. São R$ 440 mil a mais. Não conheço algo que pudesse oferecer tanto lucro", diz ele.

E a realidade se apresenta em áreas que antes eram totalmente desabitadas. Onde foi construída a Universidade Federal do Ceará (UFC), campus Cariri, há pouco mais de cinco anos, existe hoje no setor uma Faculdade de Medicina particular, o Instituto Médico Legal, a Faculdade Leão Sampaio, entre outros empreendimentos na área da Educação. Os empreendimentos particulares chegam com novos edifícios e condomínios. Segundo Gurgel, são espaços cada dia mais valorizados.

Há três anos, segundo o corretor, o metro quadrado de terreno chegava a custar na área da Lagoa Seca, de R$ 10 a R$ 15. Hoje, a média é de R$ 250,00 a R$ 300,00. Há áreas, segundo a corretora Fabiana Canuto Alves, que chegam a ter o metro quadrado no valor de R$ 2.500. Ela diz haver alta concorrência no mercado. "É impressionante e considero que o ritmo está bom", afirma.

Em consequência, multiplica-se a quantidade de empresas imobiliárias na cidade. "É grande o número de pessoas em campo atuando. E isso é uma consequência do crescimento da cidade e dos investimentos que vêm ocorrendo", enfatiza.

Fabiana Canuto diz que a criação da Região Metropolitana do Cariri (RMC) é um grande indicativo para todo esse processo. Para ela, Juazeiro centraliza esse processo. A cidade se torna cada vez mais disputada pelos investidores.

Segundo Gurgel, isso poderá durar até mais de cinco anos, até o processo de desenvolvimento acelerado se estabilizar na cidade.

Mesmo em áreas próximas ao Centro, como o Bairro São Miguel, o preço do metro quadrado chega a custar até mais de R$ 3 mil. Em outros pontos, no centro, pode ir a R$ 5 mil. Há três anos, era uma realidade impensada. A tendência é que, nos bairros onde há maior especulação, esse processo se estabilize e novas áreas passem a ser visadas. Exemplo atual do Bairro Novo Juazeiro e também do Bairro São José. O Atacadão, segundo ele, numa área de cerca de mil metros quadrados, no Bairro São José, teve que investir no terreno R$ 5 milhões.

Fonte: Diário do Nordeste.

Essa campanha bem que poderia ser nacional

Os outdoors colocados na cidade de Jaraguá do Sul, SC, demonstram a indignação da população em relação à proposta de aumento do número de vereadores na Câmara.


A destruição do casamento

Dados do Departamento de Censo mostram que os casados, pela primeira vez na história, representam menos das metades dos lares norte-americanos. A clássica família, com mamãe, papai e as crianças sob o mesmo teto está desaparecendo. Em todos os estados, o numero de companheiros não casados, casais sem filhos e pessoas solteiras cresce numa velocidade muito superior à dos casais com filhos, diz o censo de 2010. Casais com filhos representavam 43% dos lares no país, em 1950; eles agora representam apenas 20%. E essa tendência demonstra uma potente dimensão de classes. Casamentos tradicionais evoluíram de um rito quase universal para um luxo restrito aos educados e poderosos. Quase não havia diferença em 1960: apenas quatro pontos percentuais separavam os casados universitários dos formandos escolares. Essa diferença aumentou para 16%, de acordo com o Pew Research Centre. Uma analise do Departamento do Censo, lançada na última primavera, mostrou que as noivas estão muito mais propensas a terem um diploma universitário do que na metade dos anos 1990.

“O casamento se tornou muito mais seletivo, e é por isso que o índice de divórcios baixou”, diz Bradford Wilcox, diretor do Projeto Nacional de Casamentos na Universidade da Virgínia, em Charlottesville. O projeto descobriu que os índices de divórcio entre casais com diplomas universitários são apenas um terço maiores que entre aqueles apenas com diplomas escolares.

Norte-americanos com diplomas escolares ou menos (que representam 58% da população) disseram aos pesquisadores que gostariam de se casar, mas não têm condições financeiras para isso. Ao invés disso, eles têm filhos fora do casamento. Apenas 6% das crianças nascidas de mães com diplomas universitários nasceram fora do casamento. Entre as mães apenas com diploma escolar, esse índice é de 44%.

“Menos casamento significa menos renda e mais pobreza”, afirma Isabel Sawhill, da Brooking Institution. Ela e outros pesquisadores associaram a desigualdade na renda no país às mudanças na composição familiar: pais solteiros (quase sempre sem diploma universitário) estão se tornando mais pobres, enquanto casados (com educação e dupla renda) estão prosperando. “Essa é uma grande diferença que não é compreendida pelo público”, diz.

Não espere, no entanto, que o Partido Democrata aborde essa questão nas eleições do ano que vem. Mulheres solteiras votaram massivamente em Barack Obama. “Você não sugere a uma mãe solteira que se case”, diz Sawhill. “Seria denegrir seu estilo de vida.”

VEM AÍ O VII FESTIVAL JUNINO DE GUARACIABA DO NORTE

Guaraciaba do Norte vai ter um final de semana de muita festa e alegria, teremos o VII circuito junino com muitas atrações. Sexta feira dia 1º de julho tem muito forró pé de serra com forró panela quente e banda memórias do sertão, sábado dia 2 tem forró requebra e forró do bom, teremos ainda a apresentação da "Guaradrilha" e domingo dia 3 o encerramento com forró pop e forró estourado, venha você é nosso convidado especial, realização da Prefeitura Municipal de Guaraciaba do Norte.
 
Fonte: Blog do Diassis Lira

quarta-feira, 29 de junho de 2011

Teoria sobre formação do sistema solar pode mudar

 
Depois de analisar cuidadosamente amostras trazidas pela sonda espacial Gênesis, cientistas da NASA descobriram que o nosso Sol e seus planetas interiores podem ter-se formado de maneira diferente do que se pensava. Os dados revelaram diferenças entre o Sol e os planetas no oxigênio e no nitrogênio, que são dois dos elementos mais abundantes no nosso Sistema Solar. Embora a diferença seja pequena, as implicações podem ajudar a determinar como o nosso Sistema Solar evoluiu [sic]. A teoria mais aceita atualmente para a formação dos sistemas planetários propõe que o material que sobra da nebulosa original - depois que a estrela se formou - agrega-se para formar os planetas. Se fosse assim, não deveria haver disparidade entre os elementos que formam cada um dos corpos celestes do sistema. “Descobrimos que a Terra, a Lua, assim como Marte e outros meteoritos que são amostras de asteroides, têm menor concentração de O-16 do que o Sol”, disse Kevin McKeegan, membro da equipe científica da sonda. “A implicação é que eles não se formaram a partir dos mesmos materiais da nebulosa que criou o Sol [sic] - como e por que é algo ainda por ser descoberto.”

O ar na Terra contém três tipos diferentes de átomos de oxigênio, que são diferenciados pelo número de nêutrons que eles contêm. Quase 100 por cento dos átomos de oxigênio no Sistema Solar são compostos de O-16, mas há também pequenas quantidades de isótopos de oxigênio mais exóticos, chamados O-17 e O-18. Pesquisadores que estudaram o oxigênio nas amostras trazidas pela Genesis descobriram que a porcentagem de O-16 no Sol é ligeiramente mais alta do que na Terra ou nos outros planetas terrestres. As porcentagens dos outros isótopos são ligeiramente mais baixas.

Eles avaliaram também as diferenças entre o Sol e os planetas quanto ao elemento nitrogênio. Como o oxigênio, o nitrogênio tem um isótopo, N-14, que representa quase 100 por cento dos átomos no Sistema Solar, mas há também uma pequena quantidade de N-15. Em comparação com a atmosfera da Terra, o nitrogênio no Sol e em Júpiter tem um pouco mais de N-14, mas 40 por cento menos N-15. Tanto o Sol quanto Júpiter parecem ter a mesma composição de nitrogênio. Como no caso do oxigênio, a Terra e o restante do Sistema Solar interior são muito diferentes em nitrogênio.

“Esses resultados mostram que todos os objetos do Sistema Solar, incluindo os planetas terrestres, meteoritos e cometas, são anômalos em comparação com a composição inicial da nebulosa da qual o Sistema Solar se formou”, diz o coautor da pesquisa.

Os dados foram obtidos a partir da análise de amostras coletadas do vento solar pela Gênesis - o material ejetado da porção externa do Sol. Esse material é uma espécie de fóssil da nossa nebulosa original [sic], porque a maior parte das evidências científicas sugere que a camada externa do nosso Sol não mudou de forma significativa nos últimos bilhões de anos.

Lançada em 2000, a sonda ficou coletando partículas solares entre 2001 e 2004, quando sua cápsula de retorno foi fechada e enviada de volta à Terra. Por uma falha nos paraquedas, em vez de ser capturada por um helicóptero, a cápsula chocou-se violentamante no solo. Apesar do incidente, os cientistas conseguiram recuperar as amostras. Com isso, a demonstração de que elas não foram contaminadas é uma parte importante para a validação dos resultados agora anunciados.

(Inovação Tecnológica)

Nota: Isso mostra o quão pouco sabemos sobre nosso Universo. Mesmo a teoria nebular da formação do Sistema Solar é pura especulação. Resta a dúvida: Por quanto tempo os livros didáticos vão ensinar que o Sol e os planetas do sistema se formaram da mesma “nuvem”? A julgar pelos erros que favorecem o darwinismo e que ainda constam nos livros de biologia (mesmo depois de desmascarados), isso pode demorar bastante tempo.[MB]

Evento religioso mobiliza 2 mil pessoas em Ubajara


Acampamento dos Clubes. FOTO: MONIQUE GOMES

Entre os dias 22 a 26 de junho a cidade de Ubajara recebeu os participantes do V Campori de Jovens, evento promovido pela Igreja Adventista do Sétimo dia. Cerca de 2 mil pessoas dos Estados do Ceará e Piauí fizeram parte da programação, que contou com uma enorme lista de atividades trabalhadas pelos jovens, como Corrida Radical, Corrida com obstáculos, Parafuso Doido, Centopeia, Totó Humano, etc.I
 Segundo informações do responsável pela comunicação e mídia do evento, Eduardo Neto, além das brincadeiras, os grupos trabalharam na consolidação de projetos comunitários, como arborismo, doação de sangue, etc, bem como caminhadas ecológicas e a defesa de uma vida saudável sem uso de drogas. “Através de um sistema de rodízio todos podem sair para fazer outras atividades como conhecer os atrativos turísticos da região. Muitos estão vindo a Ubajara pela primeira vez e estão encantados com a beleza daqui”, afirmou Eduardo.I
Barraca Coração de Mãe - infraestrutura de cozinha. FOTO MONIQUE GOMES
 Os grupos ficaram abrigados em barracas de camping no espaço de propriedade do Hotel Pousada da Neblina, na Av. César Cals. Uma infraestrutura muito bem planejada pela direção do evento contou com a instalação de quarenta e oito cozinhas, uma área para banho e outra para banheiros químicos, além de um lavatório especial para higiene das mãos. As barracas foram divididas numa marcação nomeada com ruas e quadras para facilitar o acesso. Em outro espaço, um palco para os shows noturnos. “O Campori é o auge de tudo, é onde os jovens irão repassar para outros tudo aquilo que aprenderam”, afirmou Carlos Sobrinho, um dos organizadores, confirmando que em outubro haverá outro evento similar com o público infantil.I


O Site Campori de Jovens é uma ferramenta de acesso a diversas informações importantes para os participantes. Um informe alerta sobre o frio na cidade: “Ontem e hoje choveu em Ubajara. O clima está bom. Faz pouco frio à noite, em torno de 12 graus. Vamos nos adiantar a chuva e ao frio, trazendo casaco e capa de chuva”. Outro, atenta para os cuidados com o meio ambiente e a prática da sustentabilidade. “Contamos com a sua ajuda. Ao encontrar uma torneira aberta, feche. Ao verificar um cano furado, comunique. Não vamos desperdiçar este líquido tão importante”.I
Carlos Sobrinho entre participantes do V Campori. FOTO:MONIQUE GOMES
 A Igreja Adventista do Sétimo Dia acredita no advento, que é a segunda vinda de Jesus. A religião surgiu entre as décadas de 1850 e 1860 nos Estados Unidos e na Europa. Hoje existe mais de 12 milhões de adeptos no mundo todo.I
 O feriado prolongado em Ubajara foi marcado também pelas festividades da Igreja Canaã, com o show da cantora Alice Maciel, pelos festejos juninos em praça pública e o retorno do funcionamento do teleférico. 


Fonte: Folha Ubajarense

terça-feira, 28 de junho de 2011

Ex-prefeito é preso na operação Caça- fantasma em cidade do interior do CE

Cinco de seis suspeitos já foram presos na operação Caça-fantasmas.
Polícia havia feito cerco à residência do suspeito para evitar possível fuga.

Polícia faz cerco à casa de ex-prefeito (Foto: Elvis Martiniano/Blog Tianguá em Foco) 
Polícia faz cerco à casa de ex-prefeito (Foto: Daniel
Martiniano/Blog Tianguá em Foco)
 
Foi preso na tarde terça-feira (28) o quinto suspeito de compor uma quadrilha que fraudava licitações para locação de veículos, o ex-prefeito de Tianguá, Gilberto Moita. Na manhã desta terça foram expedidos seis mandados de prisão temporária, a pedido do Ministério Público.
A polícia fez um cerco à residência de Gilberto Moita, segundo o inspetor Sebastião Bastos. "Ninguém entrava, ninguém saia. Ele não tinha outra opção senão se entregar", diz o inspetor. O ex-prefeito se entregou por volta das 13h30, de acordo com policiais.
Gilberto Moita se entregou em companhia do advogado, que havia entrado na casa do cliente às 11h da manhã desta terça, de acordo com informações do inspetor Bastos. Ele chegou à Delegacia Regional de Tianguá escoltado por policiais com o rosto coberto e não falou com a imprensa. A equipe de reportagem da TV Verdes Mares em Tianguá tentou falar com o advogado do acusado, que também não falou com a imprensa.

saiba mais
Com a prisão de Moita efetuada, são cinco pessoas presas na operação Caça-fantasmas. Uma segue foragida. A polícia realiza diligência em busca do suspeito.

Reincidência
Gilberto Moita já havia sido condenado em 2009 pelo Tribunal de Conta da União a devolver R$ 265.484,26 ao Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), por não comprovar a aplicação de recursos federais repassados à cidade de Tianguá.
 
Fonte: G1.com

Colaboração ao Nosso Blog.

Gostaria de informar aos amigos que acompanham nosso blog, que os amigos que quiserem nos dar sugestões ou contribuir com informações concernentes ao nosso Municipio, basta somente nos enviar e-mail para: darlan_blue@hotmail.com

Estaremos a disposição para qualquer dúvida.

Um abraço a todos!!!

Darlan Mariano

Treze cidades do Ceará terão corte na verba do programa Saúde da Família

 

O Ministério da Saúde suspendeu o repasse de dinheiro público federal a 337 cidades brasileiras, onde o ministério identificou irregularidades por parte das secretarias municipais de saúde, responsáveis diretas pela execução dos programas. Na lista estão 13 cidades do Ceará: Barbalha, Catunda, Chaval, Fortaleza, Iguatu, Jardim, Jucás, Missão Velha, Morada Nova, Santa Quitéria, São Benedito, Sobral e Tauá.
De acordo com o Diário Oficial da última segunda-feira (27), ficam suspensos os repasses para 293 equipes do Programa Saúde da Família, 275 equipes de Saúde Bucal e 2.135 agentes comunitários de saúde por duplicidade de cadastro no Sistema de Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (SCNES).
Os municípios citados deixarão de receber a parcela do incentivo correspondente às equipes e agentes que apresentaram problemas. De acordo com o Ministério da Saúde, medida não representa a interrupção da Saúde da Família e Brasil Sorridente nas cidades que terão o corte da verba. A transferência dos recursos deve ser restabelecida quando os gestores locais comprovarem ao Ministério da Saúde que as inadequações foram solucionadas.
De acordo com dados do Ministério da Saúde, o programa Saúde da Família atende a 100 milhões de pessoas e conta com 31.960 equipes, 246.342 agentes comunitários de saúde e 20.714 equipes de Saúde Bucal.
O tesoreiro da Secretaria de Saúde de Sobral informou que a cidade foi inclusa na lista por conta um servidor que trabalhou na cidade por 15 dias e depois passou a trabalhar em outro município; isso teria ocasionado a publicidade do cadastro, segundo o tesoureiro. De acordo com a secretaria de Sobral, a situação do fornecedor foi regularizada.
A assessoria da Secretaria de Fortaleza foi procurada pela equipe do G1, mas informada que no horário da ligação (18h20) o serviço da prefeitura não tinha condições de responder ao caso. A secretaria das demais cidades não responderam ao e-mail ou telefonemas do G1.

Fonte: G1.com