quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

Cearenses de Guaraciaba do Norte estão entre os 50 melhores do País

Estudar Astronomia tem feito bem a centenas de milhares de estudantes de todo o País. Depois do número recorde de inscritos na XI Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA), o Ceará também aumentou em quantidade de medalhistas. Somente em Limoeiro serão entregues 169 medalhas, mais que o dobro do ano passado. O município, que este ano ganhou um telescópio da coordenação da olimpíada pelo desempenho em 2007, teve maior número de inscritos do País no concurso deste ano. Líder em participação no País, o Ceará tem 2.668 estudantes medalhistas na OBA 2008, sendo 443 medalhas de ouro, 920 de prata e 1.305 medalhistas de bronze.

Resultados motivam a criação dos Núcleos de Astronomia e Ciências (Nasce) no Interior. Três estudantes de Guaraciaba do Norte, um de Sobral e outro de Fortaleza ficaram entre os 50 melhores de todo o Brasil na prova de Astronáutica.

O professor astrônomo Dermeval Carneiro, vez por outra, sai de Fortaleza em seu carro para o Interior. Na bagagem, livros sobre Astronomia e arquivo de vídeo com imagens da lua e dos planetas do sistema solar. Na mente, uma idéia fixa: despertar o interesse de crianças “de oito a 80 anos” pela Astronomia. Coordenador estadual da OBA, ficou surpreso com a quantidade de participantes nessa olimpíada.

Jornada Espacial

No ano de 2007, Limoeiro do Norte já ultrapassava Fortaleza em número de inscritos. No ano passado, a terceira melhor nota na Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica levou a estudante de Russas, Brena do Carmo Cardial, hoje com 15 anos, como única cearense para a IV Jornada Espacial no Centro de Tecnologia da Aeronáutica (CTA) em São José do Campos (RJ). É lá que estão, nesta semana, três cearenses de Guaraciaba do Norte que ficaram entre os 50 com maiores notas em Astronáutica: Andressa de Sousa Silva, da Escola João Eufrázio Filho; Antônia Daiane de Sousa Silva, da Escola Martinslândia; e Antônio Lucas Freitas Paiva, do Colégio Oriento — os representantes de Sobral e Fortaleza não foram.

Uma em cada cinco escolas do Ceará mandou representantes para a OBA, realizada no mês de maio — um aumento de 192% em relação a 2007. Este ano, 2.052 escolas cearenses inscreveram-se na olimpíada. Em todo País, 15.592 escolas se cadastraram. A olimpíada foi dividida entre questões de Astronomia e Astronáutica.

Em escolas públicas e privadas, professores como Fábio Pitombeira e Edgardo Bessa saiam do “universo” dos livros e mandavam a “galera” olhar para o céu. Havia muito mais estímulo entre o telescópio e a Lua do que podiam explicar as fotografias nos livros de Física ou Ciências.

Melhor desempenho

Ao total, os alunos de Limoeiro conquistaram 161 medalhas na Olimpíada, sendo 21 de ouro, 44 de prata e 96 medalhas de bronze. O número nesta edição mostra a evolução do desempenho dos alunos, que em 2007 conquistaram 79 medalhas.

Pelo segundo ano consecutivo, a Escola Raimundo Felipe Santiago, da comunidade de Santa Maria, na Chapada do Apodi, é destaque na olimpíada. Os alunos da escola conquistaram nove de ouro, 11 de prata e 4 de bronze, num total de 24 medalhas.

Para o professor Edgardo Bessa, coordenador de Ciências da Secretaria Municipal de Educação Básica, a participação nas olimpíadas e o número de medalhas se devem ao incentivo da Secretaria, das aulas de Astronomia desenvolvidas há dois anos, ao trabalho de capacitação dos professores e à assessoria do professor Dermeval Carneiro.

Russas, também no Vale do Jaguaribe, não ficou por menos. A Escola Municipal Luis Ferreira Lima de Educação Infantil e Ensino Fundamental, situada no Sítio Melancias, zona rural de Russas, foi destaque na OBA. Somente essa escola obteve 17 medalhas em nível nacional — nove de bronze, seis de prata e duas de ouro. Um desempenho que prova quanto é fundamental os alunos terem apoio para novas áreas de aprendizagem.

Mais informações:
Coordenação Estadual da OBA
Demerval Carneiro
(85)3488.8639

Unifor e Secult firmam convênio


Acordo de cooperação firmado possibilitará a criação dos Institutos de Economia Cultural e de Direitos Culturais

Capacitar pessoas na área de produção, gestão e elaboração de projetos é o principal objetivo do convênio assinado, na manhã de ontem, entre a Fundação Edson Queiroz/Universidade de Fortaleza e a Secretaria da Cultura do Ceará (Secult). A solenidade de assinatura ocorreu no gabinete da Reitoria da Unifor, com as presenças do chanceler Airton Queiroz; do reitor Carlos Alberto Batista; do vice-reitor, Randal Pompeu, do secretário de Cultura do Estado, Auto Filho, além do deputado estadual Artur Bruno.

Com isso, além de fomentar a atividade cultural no Estado, capacitando profissionais para a área, o convênio também possibilita a criação de dois institutos: o de Economia da Cultura e de Direitos Culturais.

O primeiro, destacou o secretário Auto Filho, torna possível o mapeamento de toda a indústria criativa local — quem somos, onde trabalhamos e o quanto movimentamos de recursos. Enquanto que o Instituto de Direitos Culturais abrangerá questões polêmicas como o direito autoral.

“Além disso, vamos criar uma política para transformarmos Fortaleza na Capital da Cultura”, garantiu Auto Filho.

Profissionalização

Com relação à qualificação profissional, serão 14 cursos, de 180 horas/aula, ofertados nos municípios de Fortaleza; Itapipoca; Camocim; Aracati; Tauá; Crateús; Quixadá; Canindé; Limoeiro do Norte; Iguatu; Juazeiro do Norte; Baturité; Guaraciaba do Norte e Sobral.

Qualquer pessoa que tenha concluído o nível Médio poderá se inscrever. Serão turmas de até 50 pessoas que assistirão às aulas durante os fins de semana. As inscrições começarão em janeiro, nas sedes das secretarias municipais de Cultura, Unifor ou Secult.

A previsão da Secretaria da Cultura do Ceará é de que as aulas comecem na segunda quinzena de janeiro de 2009. O certificado de conclusão do curso será entregue pela Universidade que também vai ceder os docentes e o planejamento pedagógico. “A idéia é formar pessoal numa das áreas mais carentes da cultura que é a confecção de projetos viáveis”, diz Auto Filho.

Mais informações:
Av. General Afonso Albuquerque Lima S/N. E-mail: ouvidoria@secult.ce.gov.br